Tópicos de interesse

Mesa 1 – Democracia e Inteligência artificial: Em questão de uma década, países de grande estabilidade política e forte compromisso com a liberdade de expressão viram seus debates públicos degradarem como se despencassem num abismo. Nas plataformas sociais, técnicas anônimas e insidiosas de manipulação de massas corromperam a formação da opinião pública. A democracia passou a produzir o seu oposto, elegendo líderes que atentavam e ainda atentam contra o Estado Democrático de Direito. No centro do revertério global, estratégias soturnas implementadas por algoritmos ultra complexos aprenderam a explorar medos e desejos das multidões e de cada indivíduo para produzir fanatismo e irracionalidade. A política perdeu conexão com o conhecimento da verdade factual, enquanto líderes obscurantistas se dedicaram a atacar os direitos fundamentais, a ciência e a dignidade humana. A tecnologia pode ser usada para impulsionar a barbárie e destruir a civilização? Esse ciclo selvagem tem limites? Tem saída? Como superar a era da desinformação em que naufragamos? Entre os tópicos de interesse desta mesa, destacam-se:

  • Uso de dados pessoais com fins de manipulação de indivíduos e grupos
  • Inteligência artificial dedicada à vigilância de comportamentos para impulsionar propaganda
  • Legislações protetivas: o dilema entre respeitar a liberdade de expressão e combater fraudes que violam o direito à informação
  • Como serviços de mensageria privada (como o WhatsApp) se converteram em impulsionadores de publicidade invasiva com fins partidários
  • Possíveis usos de blockchain e inteligência artificial para combater e conter a indústria da desinformação

Mesa 2 – A inteligência artificial ética e a ética da inteligência artificial: A inteligência artificial já está em assistentes pessoais, vacinas, veículos autônomos, cirurgias assistidas por computador, sistemas de negociação, ensino à distância, mídias digitais, e-commerce e uma infinidade de outras aplicações. Algoritmos de alto desempenho e técnicas de aprendizado de máquina/aprendizado profundo são utilizadas com o objetivo de facilitar a convivência, melhorar a qualidade de vida e diminuir a desigualdade entre classes, grupos sociais e países. Mas, como nem sempre as técnicas de IA encontram apoio nos sistemas que regulam a vida das sociedades., uma gama enorme de problemas éticos e morais se manifestam de forma intensa nesse campo. Entre os tópicos de interesse desta mesa, destacam-se:

  • Ética e tomada de decisão nas interfaces tecnológicas
  • Dados pessoais e direito à privacidade no mundo digital
  • Vigilância e discriminação algorítmica
  • Ética corporativa e políticas de diversidade na sociedade informatizada
  • Transparência e controle social sobre sistemas de inteligência artificial
  • Desigualdades e tecnologias de inteligência artificial
  • Biometria, leitura facial e vieses dos algoritmos
  • Explicabilidade e interpretabilidade

Mesa 3 – A inteligência artificial e o futuro do trabalho: A inteligência artificial vem sendo comparada à eletricidade pelo seu caráter de tecnologia de uso geral, capaz de ser aplicada em todos os setores de atividades. Seu impacto sobre o trabalho é potencialmente universal, permitindo avanços da automação em todos os campos da economia, da indústria aos serviços de saúde, da agricultura às finanças, da mobilidade ao entretenimento. A inteligência artificial já penetra redutos antes considerados fora do alcance das máquinas, como pesquisa, procedimentos de avaliação, tomada de decisões e até mesmo atividades consideradas criativas. O futuro do trabalho está em questão. A inteligência artificial vai substituir o trabalho humano ou torná-lo mais produtivo e compensador? O que acontecerá com a força de trabalho deslocada pela tecnologia? Como educar e qualificar profissionais para esta nova era tecnológica? Como as legislações trabalhistas se adaptarão ao crowdwork e outras novas fronteiras das relações de trabalho? Como garantir transparência e equidade na gestão do trabalho? Entre os tópicos de interesse desta mesa, destacam-se:

  • Impactos da inteligência artificial sobre a criação e a destruição de empregos
  • As relações de trabalho na economia de plataformas
  • Legislação e regulação do trabalho sob demanda.
  • Os sistemas de ensino e as novas demandas por qualificação profissional
  • Inteligência artificial e vieses de seleção em plataformas de recrutamento de profissionais
  • O uso de inteligência artificial na promoção da diversidade nas empresas